Projeto n°: LIFE16 CCA/IT/000011

Localização: Portugal / Espanha / Itália
Duração: início: 01/09/2017 - fim: 01/09/2022

Budget: valor total: 4,075,040 euro, % EC co-funding: 2,439,761 euro

Área prioritária: adaptação às alterações climáticas (CCA)

 

 

CONTEXTO DO PROJETO

 

Alterações Climáticas

Alterações Climáticas são consideradas, globalmente, como um dos maiores desafios que a humanidade enfrenta atualmente. O programa LIFE da União Europeia tem uma componente dedicada especificamente às ações climáticas. Este subprograma, LIFE + Climate Action, co-financia projetos que ajudam a desenvolver e demonstrar tecnologias e metodologias eficazes que respeitem os objetivos da política climática e ambiental da UE.

Adaptação e Mitigação

O projeto Desert-Adapt é desenvolvido no âmbito do subprograma LIFE + Climate Action, cuja prioridade é a adaptação climática.  A adaptação às alterações climáticas é particularmente importante para a região mediterrânica, que está a sofrer efeitos cada vez mais negativos sobre a mudança climática, como a seca e a temperatura extrema, mais do que outras áreas da Europa. O projeto incidirá em medidas de adaptação destinadas a reverter as tendências de desertificação em curso e a construir comunidades locais mais resistentes ao clima. Além disso, também abordará a prioridade política de Mitigação, restaurando a cobertura vegetal e o conteúdo orgânico do solo, resultando em remoções líquidas de CO2 da atmosfera.

 

ÂMBITO DE APLICAÇÃO E OBJECTIVOS 

O objetivo principal do Desert-Adapt é demonstrar estratégias e tecnologias inovadoras de adaptação ao clima, para melhorar a qualidade do solo, a conservação do solo e o suporte para plantas em propriedades públicas e privadas, em áreas mediterrâneas sob risco de desertificação.

Os dois principais objetivos do projeto são:

  • Demonstrar a eficácia das tecnologias inovadoras de adaptação, para melhorar o desenvolvimento socioeconômico e a qualidade ambiental em 3 regiões da U.E já afetadas pelas alterações climáticas, aplicando Modelos de Adaptação à Desertificação - DAM adaptados às condições e oportunidades específicas do território.
  • Promover a replicação dos DAM, entre as várias partes interessadas (stakeholders), em particular os agricultores locais, que procuram oportunidades socioeconómicas a partir de políticas e usos de solo rentáveis e resistentes ao clima, de forma a permitir a replicação e ampliação, nas regiões do projeto e posteriormente a uma escala superior.

Os “Modelos de Adaptação à Desertificação” (DAM) são especificamente projetados para contrariar a erosão e subsequente desertificação do solo. É adotada uma abordagem integrada dos ecossistemas para garantir que os objetivos de adaptação às alterações climáticas sejam combinados com a melhoria de funções do ecossistema (por exemplo, sequestro de carbono, retenção de água, biodiversidade) e um melhor desenvolvimento socioeconómico.

 

RESULTADOS ESPERADOS

Espera-se que o projeto beneficie os agricultores locais em particular, com o aumento de oportunidades de lucro resultantes da combinação de produtos e serviços de ecossistema e através da promoção organizada de cooperativas, vendas e marketing.

Além disso, a biodiversidade local é beneficiada através de uma maior complexidade estrutural da vegetação, maior atração de polinizadores e uma redução dos impactes no solo e no meio ambiente. Outros resultados incluem a preparação de agricultores para a aquisição de várias certificações.

O primeiro resultado esperado principal do projeto é a “implementação de 10 modelos de adaptação à desertificação (DAM)”

Mais especificamente, os resultados são:

  • Implementação do Modelo de Adaptação à Desertificação em 1000 hectares em Itália, Espanha e Portugal.
  • Preservação e melhoria da biodiversidade e da Qualidade do solo, incluindo um aumento de 50% na biodiversidade funcional do solo; pelo menos 10% de aumento da presença espécies indicadoras, melhora significativa da qualidade do solo e redução da perda de solo e erosão.
  • Melhoria dos benefícios socioeconómicos, com pelo menos 8 recursos selecionados de renda vital; um aumento de renda por agricultor de 100 euros por hectare (ou 100%); um aumento do emprego para 0,1 FTE por hectare e um aumento geral da IRR de pelo menos 6%.
  • Mitigação das alterações climáticas, incluindo uma remoção liquida de 1 tonelada de carbono (CO2-e) por hectare.

O segundo principal resultado esperado é a “replicação bem-sucedida e aumento da adopção de tecnologias de adaptação”

Os resultados incluem:

  • Empresa autossuficiente para compras coletivas, vendas, marketing e promoção agrícola.
  • 10 parceiros do projeto formados como promotores, cada um com sucesso na transferência de conhecimento a mais 10 agricultores (100 agricultores e 10.000 hectares no total, após o projeto).

Assinados pelo menos 30 acordos de cooperação com parceiros comerciais para produtos e serviços ecológicos e produtos de DAM promovidos em 4 feiras.


AÇÕES DO PROJETO

Visão geral das ações do projeto e cronograma de ação, obtenha o PDF
Para um papel detalhado de cada parceiro em cada subação, obtenha o PDF

ASPECTOS TECNICOS

Para impedir uma maior degradação das áreas de demonstração, este projeto adota uma abordagem integrada de ecossistemas com base em dois aspetos principais: 


  1. A) A adoção de uma gestão integrada do solo e do uso do solo. 
    B) O desenvolvimento de sistemas de uso do solo resistentes e adaptados às alterações climáticas.

Indicadores de Desempenho do Projeto

Foi selecionado um conjunto de indicadores de desempenho, a fim de avaliar a eficácia do projeto na realização e obtenção dos resultados esperados. Os indicadores serão analisados no inicio do projeto para definir os valores de referência, ou seja, o estado desses indicadores nas condições atuais de gestão do solo das áreas incluídas no projeto e, após cinco anos, no final do projeto, para verificar o estado desses indicadores após o desenvolvimento e implementação do DAM.

Os indicadores abrangem vários aspetos, desde a qualidade ambiental até aspetos socioeconómicos. O que reflete a natureza do projeto, que visa melhorar os serviços de ecossistema nas áreas de estudo, optando ao mesmo tempo por alternativas economicamente sustentáveis, de modo a estimular parceiros e proprietários para continuar a implementação após o projeto e os novos proprietários para se juntar.

Os indicadores que serão utilizados encontram na seguinte tabela.

Melhoria do desempenho ambiental e climático (incluindo a resiliência às alterações climáticas)

Redução das emissões de gases com efeito de estufa

Dióxido de Carbono (CO2)

Redução/Substituição de substancias perigosas

Substituição de químicos

Água

Capacidade de retenção de água

Evitar a escorrência superficial através da melhoria de usos de solo

Capacidade de infiltração de água

Desertificação

Vulnerabilidade à desertificação

Melhor uso dos recursos naturais

Água

Redução das taxas de mortalidade de plantas pelo uso de auxiliares de crescimento em comparação com parcelas de controlo (sem ajuda de crescimento)

Uso sustentável do solo, Agricultura e Floresta

Agricultura

Áreas agrícolas sob gestão sustentável e proteção contra a desertificação.

Solo/Terras, em média para todas as terras

Melhoria do solo de superfície

Substancia orgânica

Densidade aparente

Porosidade

Estabilidade de agregados

Melhoria da capacidade de troca de catiões

Carbono orgânico extraível em água quente

Substância de Partículas Orgânicas

Carbono orgânico total

Nitrogénio total

pH (H2O)

Aumento da superfície de raízes de plantas colonizadas por micorrizas

Aumento da densidade de esporos micorrízicos no solo

Melhoria da Natureza, Espécies e Biodiversidade

Aumento geral da biodiversidade

Presença de espécies indicadores

Biodiversidade funcional do solo

Presença de espécies-chev de polinizadores de plantas, abelhas, borboletas, entre outras

Desempenho económico, difusão no mercado, replicação

Ocupação

Criação de emprego

Replicação/transferência

Número de replicações/transferências

Disseminação no mercado

Dimensão do mercado em número de clientes

Participação em 4 feiras

Finanças

Capital investido

IRR

Economias/ Receitas esperadas

 

CONTRIBUIÇÃO DE PROJETO PARA PRIORIDADES POLÍTICAS DA UE 

O projeto também contribui para a Área Prioritária "Mitigação das Alterações Climáticas", pois concentra-se no uso do solo, na mudança de uso do solo e na silvicultura (Land-use, Land-use change and Foresty – LULUCF). O projeto desenvolve métodos e ferramentas práticas para a implementação, replicação e melhoria da gestão integrada do uso do solo. Os métodos aplicados visam melhorar os sumidouros de carbono terrestres e otimizar a remoção líquida de gases com efeito de estufa, contribuindo de forma importante para o Acordo de Paris sobre o clima, ainda mais focando áreas degradadas impróprias para a produção atual e futura de alimentos. Oferece alternativas à degradação do solo é o aspeto fundamental deste projeto, bem como o aumento do conteúdo orgânico do solo. No que se refere às prioridades políticas específicas da UE, o projeto contribui para o setor de uso do solo, promovendo novos conceitos e atividades econômicas para melhorar o uso do solo, para melhorar os sumidouros de carbono terrestres e ajudar a reduzir as atuais tendências de desertificação e emissão de GEE. Além disso, o desenvolvimento de cadeias de produção curtas com vista à sustentabilidade, permite que os padrões de consumo geral, tornem-se mais respeitadores do clima.

No que diz respeito ao Balanço de Gases de Efeito de Estufa, as contribuições do projeto incluem a recolha de dados de carbono, com uma variedade de contextos em três países diferentes e as metodologias de certificação de carbono envolvem grupos proprietários de áreas e origens diferentes. As contribuições políticas para a agricultura são duplas, a implementação de práticas agrícolas de baixas emissões e o fornecimento de abordagens ecológicas para sistemas políticos, especialmente para a Política Agrícola Comum (PAC).

DE VOLTA AO TOPO